sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Marketing Verde

Por Lívia Brito



Ainda que tímido grandes empresas criam conselhos para gerir o Marketing Verde, comumente chamado de Responsabilidade Ambiental. No entanto, a expressão Marketing Verde relembra o conceito de Marketing Societal apresentado por Philip Kotler e outros estudiosos.



O termo Marketing Verde surgiu nos anos 70 quando a AMA (American Marketing Association) promoveu um Workshop para discutir o impacto do marketing sobre o meio ambiente. Administradores e profissionais de comunicação entendem que não é mais possível planejar o Marketing sem ampliar as ações à Responsabilidade Social e Ambiental, pois a atividade de marketing busca integrar o produto, a marca e a empresa ao mercado consumidor (ao planeta) - processo que gera impactos econômicos, financeiros, ambientais e sociais.



Para exemplificar cito a ação da Tetra Pak, fabricante de embalagens longa vida. A preocupação socioambiental surgiu no ano de 1996 quando observou a oportunidade de dar um destino correto para as embalagens descartadas pelos consumidores. A ação iniciou com o incentivo à coleta seletiva e reciclagem das embalagens. Em 2005, a Tetra Pak construiu uma fábrica de reciclagem das embalagens longa vida, no interior de São Paulo, na qual criou uma tecnologia capaz de separar o papel, o alumínio e o plástico e aproveitá-los com baixo consumo de energia.



Para manter e dar continuidade as ações e iniciativas sustentáveis, a empresa mantém um conselho com 10 profissionais pós-graduados e doutores no assunto. Essas pessoas possuem a responsabilidade de criar e buscar novos métodos e tecnologias, além de disseminar o conhecimento dentro da empresa e fora dela. Clique aqui para ver a Matéria completa.



Se não houvesse nenhum controle do descarte a poluição seria ainda maior, pois a fabricação das embalagens gerou um impacto ambiental alto, tendo em vista o tempo de decomposição do papel plastificado (1 a 5 anos) e do alumínio (mais de 100 anos), os quais contribuiriam para o agrave de enchentes e outras catástrofes naturais. No entanto, a própria fabricante buscou uma maneira de diminuir o impacto recolhendo os recipientes e reaproveitando-os com alto investimento, mas que a longo prazo promove muitos resultados benéficos para o planeta e para o posicionamento mercadológico da Tetra Pak, especialmente frente aos seus acionistas.



Muitas empresas promovem ações voltadas à Sustentabilidade, porém o mercado ainda observa esses atos como um modo de posicionar a imagem de “boazinha”. Logo, considera-se que os investimentos na geração de sustentabilidade ainda são altos, limitando as ações globais. Entretanto, se a maioria proporcionar ao planeta os poucos recursos que possuem em prol de um mundo mais saudável, o futuro certamente reservará bons resultados.


O conceito de Marketing Verde voltou para incorporar todos os outros “pês” e ferramentas de marketing, em uma atividade que consiste desenvolver, gerar e facilitar quaisquer trocas com a intenção de satisfazer os desejos e necessidades dos consumidores, desde que a satisfação de tais desejos e necessidades ocorra com o mínimo de impacto negativo sobre o meio ambiente, conforme explana Michael Jay Polonsky em artigo intitulado Introdução ao Marketing Verde, no ano de 1994.



Aproveito para vender meu peixe “verde”. A empresa que administro fabrica um produto de linha hospitalar e industrial, ambos possuem a composição biodegradável. Para o setor industrial o departamento químico estuda a viabilidade de substituir a soda cáustica (produto químico altamente prejudicial à saúde do trabalhador e do meio ambiente) pelo nosso detergente biodegradável, o qual irá proporcionar a mesma limpeza com a certeza e a garantia de um produto saudável.



Cabe ressaltar que a soda cáustica é utilizada na limpeza de equipamentos e máquinas destinados à fabricação e processamento de leite e seus derivados, além de geleias e outros processos que produzem a incrustação de resíduos na superfície dos equipamentos.



Peixe vendido, mente em harmonia com a natureza. Façamos do nosso planeta o nosso lar. É o plano para 2010, sem pseudo-marketing, mas sermos verdadeiros jardineiros do mundo.

8 comentários:

Plataforma RP disse...

O mundo precisa de mais iniciativas como a da Tetra Park, iniciativas que realmente pensem no futuro e não apenas em aparecer como boazinha, mas que no fundo não passam de empresas que pensam e visam unicamente o lucro.
Mas cada dia mais os próprios consumidores cobram ações verdadeiras das empresas.
E isso é o bacana né? Se não for por iniciativa, vai por pressão.

Ju M. Olinto

Priscila Borges disse...

Parabéns pelo post. Este é um tema que deve ser visto com seriedade pelas empresas e não como estratégia de marketing.

Abraço.

Ocappuccino.com disse...

As empresas precisam pensar em todo o ciclo de vida de seus produtos. E é isso que a Tetra Pak faz. Ela faz sua parte e já é um belo ato.

MATEUS

Cibele Silva disse...

O ano passado assisti na empresa em que trabalho uma palestra da empresa TecnoSet-it-solutions.
Eles mostraram todo o processo deles de preocupação com a folha de sulfite, toda a tecnologia deles e o marketing verde... eles apresentaram todos os detalhes e eu fiquei encantada com tudo que vi.
Tenho até o contato com gerente de comercial, ele tinha me falado que eu poderia entrar em contato com o mkt deles para saber mais sobre o processo.
Quem sabe não dá para dar continuidade ao que vc falou Lívia, mas com uma empresa diferente e com uma entrevista exclusiva.
Eu vi que a TecnoSet não trata com brincadeira ou somente mkt tudo o que faz para o ambiente e as preservações dela.
Admirei bastante a empresa.

Acredito q assim como a tetra pak e a tecnoset estão fazendo um bom trabalho as empresas devem se empelhar para fazer o mesmo!

Abraços,
Belle
@blogabordo

Lívia Brito disse...

Obrigada pelos comentários, pessoal.

Toda e qualquer ação em prol da natureza e das pessoas é bem-vinda, desde que planejada com objetivos sociais; não apenas lucrativas. E nós estamos preferindo cada vez mais produtos/serviços que atendam esse mercado de forma efetiva e clara.

Muito boa ideia, Belle. Desconheço essa empresa e seria ótimo apresentar suas ações e ideias.
Se você quiser dar continuidade fique à vontade, ou se preferir passar os contatos para mim eu o faço. ;)

Grande beijo e boa semana tripulantes e visitantes.

Natalya Nunes disse...

Parabéns pelo post, Livia!
Muito Bom!

Certa vez escrevi sobre o caso da Petrobrás que mudou sua identidade desde que a sustentabilidade ambiental passou a ser mais ressaltada. Antes, ela era uma empresa de petróleo. Hoje, ela é uma 'geradora de energia', uma vez que todos nós sabemos que o petróleo eh o principal causador do efeito estufa e nenhuma empresa quer se sentir 'responsável' pela degradação ambiental....Elas utilizam uma espécie de 'máscara verde'.

Guilherme Freitas disse...

Com essa era do aquecimento global e de mudanças climáticas, o que mais precisamos é do marketing verde para alertar a sociedade que nosso planeta precisa de mudanças.

LIVIA disse...

É exatamente isso, Natalya. "Máscara verde" é a expressão mais adequada.

E completando o que você falou Guilherme, acredito que essa responsabilidade esteja nas mãos dos novos profissionais, das novas gerações, dos novos formadores de opinião.

Abraços,
Lívia Brito.