segunda-feira, 29 de março de 2010

O relacionamento do online para o off-line

Por Cibele Silva




Faz algum tempo que venho pensando neste assunto de relacionamento online e off-line.
Tive o prazer de conhecer muitas pessoas através do twitter, do blog e assim por diante. Depois ouve o relacionamento pessoal.
Para mim muda muita coisa, para outros não mudam em nada a relação quando sai do online e vai para o off-line.

Cito alguns exemplos meus:

Dei continuidade ao A Bordo da Comunicação por conhecer e assistir palestras do Gil Giardelli e da Liliane Ferrari.

Resolvi fazer o fórum do A Bordo depois de assistir uma mesa-redonda com o Marcelo Vitorino no Bate-papo sobre e-commerce da Lígia Dutra.

No último bate-papo sobre e-commerce, no telão atrás dos palestrantes estava aparecendo as TAGs do #bpcommerce, conforme as pessoas tuitavam apareciam algumas perguntas do gênero: “Você está aqui, onde você está? Quero te conhecer” – “Te sigo faz tanto tempo no twitter, não consigo te reconhecer, em que fileira você está?”.

Quando eu estava indo embora perguntaram quem era o ‘menino’ que tuitava pelo @blogabordo. Foram me chamar. Conheci a tal pessoal e recebi uma proposta de parceria.

E qual o motivo de eu estar contando tudo isso?! Simples. Eu fiquei com uma dúvida - Até onde a relação off-line pode interagir e progredir no relacionamento online?

Fui conversar com algumas pessoas.

Para Liliane Ferrari o pessoal tem que corresponder do real e o virtual, às vezes a relação virtual decai naturalmente, mas ela tem uma grande e melhor amiga que conheceu pelo twitter.

Itana Gomes, sócia-diretora da Agência Frente Marketing de Guerrilha, acredita que no nível profissional a linha é ainda mais tênue, as redes sociais são de certo modo uma representação da pessoa física, por este motivo tem aumentado o numero de seleções off-line, para processos de estágios, trainee e etc, mas nunca deixou de existir a entrevista pessoal.
Na visão do Fábio Procópio, estudante de Relações Públicas da UNESP, o online é muito mais uma questão política, cordial. Existe um deslumbramento nesse processo do online, as expectativas são criadas e desmoronadas muito rápido.

Poderia parar com esses três exemplos e falar que tudo é relativo, porém eu queria encontrar alguém que pensasse igual a mim.

Encontrei a Mariana Oliveira, estudante de Relações Públicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Tanto eu quanto ela achamos que a relação fica mais próxima sim.

Às vezes conhecemos alguém só ‘online’ e quando nos encontramos pessoalmente é como se já tivéssemos uma relação mais próxima, já que você ‘participa’ da vida da pessoa - no Twitter, por exemplo, em que acompanhamos pessoas que dividem seus hábitos e interesses. Quando conheço alguém pessoalmente, a tendência é a relação online ficar mais forte, pois acaba consolidando uma ‘intimidade’ já existente via web", diz Mariana.

Eu acredito muito na interatividade da internet, mas ainda acredito que o ‘pessoal’ pode nos trazer mais benefícios. Desde que quando estamos online, sejamos realmente o que somos off-line.

E no meio desde emaranhado de opiniões, o que você pensa do relacionamento online para o off-line?

9 comentários:

@camilajoaquina disse...

Eu concordo contigo Belle, apesar de ser uma pessoa extremamente "online" e ter muitas amizades pela net, aprecio o contato pessoal.

Acredito que muitas barreiras são ultrapassadas com o relacionamento online, pq a intimidade acaba por não ter tantos limites, e quando se transfere isso para o 'mundo real' acaba por encontrar certas dificuldades.

Entretanto, não posso negar que é um excelente meio de conhecer pessoas e se comunicar, tanto com as amizades off ou on.

Porque senão fosse pelo twitter, como conheceria minha companheira de gtalk?

Tudo é válido se equilibrarmos nosso comportamento, transparência e sinceridade é fundamental, seja qual for o momento, ou off ou on!

Bjão

Chico Montenegro disse...

Cite nomes oras, queremos conhecer as pessoas que vc conheceu no último eventos....rs...tipo EU!..rs

Brincadeira. Show de bola o post Belle!

Ocappuccino.com disse...

Nem citou que me conheceu off line tb :(

Quando o primeiro contato é on line, penso que o mundo real (off line) vem para dar o aval, o carimbo. Por exemplo - como a Mari 'disse' no post - já convivemos com aquela pessoa on line, participamos de sua vida, mas aí quando encontra pessoalmente é uma aproximação muito maior, a história do olho no olho.

Mas quando o primeiro contato é off line, o mundo digital vem para manter os laços, manter um contato.

MATEUS

Mariana disse...

Concordo 100% com o Teteu, para relacionamentos que começam online, o offline funciona como uma espécie de "carimbo"! E eu não sabia que só eu tinha concordado contigo hehe Que bom! :D
Mas tu esqueceu de me linkar :(

Ótimo debate. Beijos!

LIVIA disse...

Concordo com você, Belle.
A relação online fica muito mais intensa quando também passa a ser offline, e vice-versa. E a comunicação fica ainda mais interessante e confiável.

Ótima percepção, Belle.
Abraço,
Lívia Brito.

Marcia Ceschini disse...

Belle,

Eu creio que bons relacionamentos on line acontecem pelo carater de quem os estabelece.
Eu tenho boas amizades só on line, online que foram para o off line, on line que se desfizeram pq a pessoa era insana ;D
O que quis dizer é que é possível, pois no on e no off line só depende do interesse de ambos de criar e manter laços.

Tenho um ótimo relacionamento com Telma Ito, Milene, Pedro, Rodrigo e Wallace Ischaber. Deles, por enquanto só conheci Telma e Milene e a sensação de qdo nos vimos era de amigas que não se viam faz tempo.

Cibele Silva disse...

Estão vendo como a relação do online para o off-line muda - as pessoas cobram mais.

Ok, os úlimos eventos eu conheci o 'patrãozinho' do Ocappuccino.com - Mateus. Também o Chico do Midiaboom. O Danilo Marinho do Clube do RP e tb colaborador daqui do A Bordo.
A Lais Bueno, a Carol Terra, a Lidi Faria, a Jéssica Lima...
Ah, foram tantos, não fiquem bravos comigo se eu não citei alguém! rs
Então, concordo com o Mateus, mas tbm concordo com a Marcia, por isso falei em um ponto que tudo é relativo.
Tem gente que pode gerar conteúdos bem bacana na rede, dar RT com coisas legais e não ter boas conversas pessoalmente, porém acho que quando nos aproximamos, tanto no on qto no off é com alguém que nos identificamos ou pode agragar algo para nós, então, volto a dizer, é o que o Mateus falou, qdo acontece o off-line é como se fosse um carimbo..

Mari, desculpa por ter esquecido de te linkar!

Obrigada pessoal pelos comentários.

abraços,
@belle_rp

Jéssica disse...

OMG!!! Repetindo pra acreditar:
"A Lais Bueno, a Carol Terra, a Lidi Faria, a Jéssica Lima..." Eu estou na mesma frase que essas divas 2.0 - Sensacionaaal!!!!
Vou tirar um Print Screen =D

A web aproxima as pessoas, a distância passa virar um número, mas não um obstáculo. Mas as vezes fica difícil de você manter um relacionamento offline, a web é uma facilitadora.

O que eu acho mais bacana do offline são os olhares quando você conhece a pessoa. Parece que você conhece ela a sua vida inteira, mas nunca pode dar um abraço. O offline é essencial para nossa saúde.

Conheci tantas pessoas incríveis do online para o offline, que a web só me traz lembranças de como é bom conversar pessoalmente, de como um sorriso é insubstituível!!
Aí, imagino como deve ser conhecer pessoas como a magnífica Marcia Ceschini pessoalmente =D

Isso que eu mais amo na internet, você pode amar as pessoas em duas dimensões!!! Pra mim, a web só intensifica o carinho e a admiração.
Peço todos os dias para que todas as minhas amizades online se concretizem também no offline. Assim, eu possa dizer pessoalmente o quanto ela é importante pra mim. =D

Belle, eu te adoro =D
Beijos, Jé

Laís Bueno disse...

realmente, às vezes a gente se concentra tanto no virtual que acaba esquecendo um pouco do real ou deixando ele pra segundo plano, se importando menos!

mas é tão importante que as relações interpessoais continuem se dando desta forma, senão perdermos a essência das relações humanas... enfim... este assunto dá "pano pra manga"!

que fofas vocês se lembrando de mim!

beijos!