quarta-feira, 24 de junho de 2009

Governança Corporativa e sua estratégica Comunicação


Pesquisa realizada com companhias e investidores destaca a preocupação dos investidores com as políticas de gestão de riscos e o papel estratégico da Comunicação nas áreas de RI das companhias.


O IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores) e a Deloitte divulgam resultado do estudo “Confiança em um cenário de riscos” durante a 11ª edição do Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais. Segundo dados da pesquisa, 115 organizações responderam ao questionário: 54 empresas representadas por seus profissionais de RI e 61 organismos investidores.


A pesquisa detectou aumento da importância da Governança Corporativa, o que alinha a administração das empresas com os interesses dos investidores, acionistas e mercados.


Conforme as respostas dos profissionais de RI, as quatro grandes tendências das Relações com Investidores na nova conjuntura econômica são: aperfeiçoamento da Governança Corporativa (63%), aumento da posição estratégica do RI (56%), identificação dos perfis dos investidores e segmentos (57%) e participação ativa no enquadramento às novas práticas internacionais contábeis (54%).


Portanto, a Comunicação vem ganhando espaço cada vez mais estratégico dentro das corporações e vem sendo encarada como ferramenta extremamente importante na geração de confiança em um cenário de riscos. Os RIs indicam, portanto, a visão de que não basta comunicar, mas de que é preciso levar as informações com eficácia, de forma estratégica e em linha com um plano de comunicação.


Clique aqui para saber mais informações do site da Revista Fator

Um comentário:

Ocappuccino disse...

"A pesquisa detectou aumento da importância da Governança Corporativa, o que alinha a administração das empresas com os interesses dos investidores, acionistas e mercados. Segundo a pesquisa, 73% dos respondentes afirmaram que a abrangência da Governança é um dos fatores importantes na decisão de investimento, facilitando assim o exercício do monitoramento e do controle nas corporações. De acordo com o levantamento, 83% dos investidores consideram fundamental também a existência de política de controle e avaliação de riscos."

Dados consistentes e uma ótima notícia e uma ótima área para RRPP.

Abraços,
Mateus d'Ocappuccino