sexta-feira, 31 de julho de 2009

Tecnologia e a Relação com o Público


A interatividade tornou-se uma realidade para proximidade do relacionamento com o público com as companhias.
Hoje não basta apenas informar, é preciso estar preparado para responder as dúvidas, críticas e sugestões.
Não muito tempo atrás quando o público estava insatisfeito, o “disse-me-disse” poderia chegar até 10 amigos próximos, agora que a informação tratada com toda a amplitude da internet um comentário “pequeno” de crítica ou insatisfação pode afetar a organização, cotações e ações em mercados abertos. Por estes motivos a importância da organização de direcionar as mídias digitais.

A maioria dos sites relacionamento com o público hoje se encontram na era da Web 1.0, sendo que para maior eficiência com bons resultados com o cliente está, na maioria, na Web 2.0.

No Brasil o número de internet banda larga está próximo aos 40 milhões, colocando os que acessam a internet de outros lugares, chega aproximadamente o número de 50 milhões, cerca de 25% da população.
Por este percentual crescente o site da organização deve, portanto, ser visto como uma porta de apresentação da companhia, com seus diferenciais e facilmente localizados pelos portais de busca, o site é uma forma democrática de informar, pois atinge o público alvo rapidamente.

É eficiente que as organizações criem seus próprios blog, a primeira empresa a criar o seu blog foi a Camargo Corrêa.

A exposição de em um blog pode oferecer riscos caso não seja feita com o máximo cuidado, a necessidade de atualização contínua é estar sempre atento a responder os comentários, tal iniciativa é uma grande recomendação, e monitorar blogs/sites auxilia na seleção e análise das informações colhidas, pois somente desta forma se conhece o público-alvo, a criação de um histórico de relacionamento é alimentado em longo prazo.

É uma estratégia que permite o profissional de comunicação, é principalmente a função de Relações Públicas, de mensurar o comportamento dos públicos.

Postado por Cibele Cristina da Silva.

5 comentários:

Fabio Procópio disse...

Realmente, é muito importante que as organizações se aproximem de seu público, assim como estejam presentes nos diversos tipos de mídias e redes sociais, só não podemos esquecer que os meios de mídia impressa ainda são fortes propagadores de opinião e levam notícia a um grande público ainda.

Abraço
Fabio Procópio

The Who! disse...

Segunda uma pesquisa que fiz em alguns sites para um post, cerca de 40% da população confia mais em empresas que possuem blog ou um rede de relacionamento inteiramente próximo ao consumidor. É um número pequeno até, mas é quem faz a diferença no boca-a-boca.

Abraços,
Maira - MakeCom

Aline Derenzi disse...

Realmente a empresas tem que se adaptar as novas tecnologias para atingir seus públicos e cabe a nós profissionais incentivar o uso dessas tecnologias, com certeza um blog ou uma rede social como caminho para uma comunicação aberta com empresa faz a diferença na hora de indicar para algum conhecido e é assim que conseguimos a confiança dos públicos.

Abraços,

Ocappuccino disse...

sabemos desta importãnica, mas o que acontece é que os gestores e líderes nutrem grande medo da perda do controle da informação e de exposição da marca em redes sociais, por isso alguns ainda optam por não inserir a marca nestes cenários... segue dica de um texto Por que os CEOs têm medo do twitter http://www.amanha.com.br/NoticiaDetalhe.aspx?NoticiaID=4e6134d0-9e0f-4e6b-9e34-4de4c2e4e32f

abraços, mateus d'ocappuccino

Cibele Silva disse...

Os meios de comunicação impressos ou na TV são muito importantes, mesmo com a expansão são ainda os mais importantes, porém a organização tem que se adaptar para atingir todos os públicos, conforme observação da Aline.
E conforme a Maira comentou, os números de confiança em uma organização que se relaciona na internet é grande.

Mateus, eu li o artigo, muito bom, no dia 19/05 eu postei sobre esse "medo" que os gerentes (no caso no artigo indicado CEO's) em passar informações para frente.

Agradeço todos os comentários e continuem A Bordo da Comunicação.

Abraços,
Cibele (A Bordo)