segunda-feira, 5 de outubro de 2009

As percepções através dos sentidos...

A Seção "Extras" hoje é de Lívia Brito, ela tem 24 anos é formada em Administração com habilitação em Marketing. É escritora amadora dos blogs Mera Distração e Marketing das Cinco. Se diz nerd e metida à pesquisadora.

...em um contexto de Marketing Multicultural

Logo que recebi o convite para postar no A Bordo, além de muito feliz, fiquei pensando no que eu poderia transmitir de novidade para os leitores. Na mesma semana do convite, eu tinha recém participado de um Curso de Marketing Estratégico, estava com as ideias fresquinhas ainda.

Resolvi abordar um assunto bastante discutido no curso, que apesar de não ser novo ganha destaque dia após dia: a percepção; considerada o quinto “P” (preço, produto, praça e promoção) de marketing, num contexto de Marketing Multicultural. Comunicar é uma arte e, como quase toda arte, é uma ciência. Ao transmitir a informação para o mercado consumidor, clareza e conhecimento são necessários para direcionar as mensagens certas para o público que se quer atingir. Mais do que somente apresentar uma propaganda, um anúncio, um spot ou qualquer outra ação comunicacional, a mensagem deve reter a atenção do cliente e aguçar os seus sentidos, sejam orgânicos ou culturais.

Na era da percepção, o ambiente de marketing proporciona experiências ao consumidor, e são nestas experiências que o profissional de comunicação procura despertar desejos de consumo. Neste contexto, o marketing multicultural identifica as variáveis culturais existentes, para que o ato de perceber resulte em processamentos psicológicos, os quais envolvem as sensações e as associações e comparações presentes na memória. Falar em multiculturalismo é falar em diversidade, e estão diretamente ligados ao fato de que as pessoas, empresas e nações estão se adaptando e, muitas vezes, valorizando as diferentes culturas. A diversidade está mudando o foco estratégico das organizações, da política, da sustentabilidade, da economia, dentre outras conjunturas que se moldam para entregar algum tipo de valor.

Thomas Friedman, em 2005, afirmou que o mundo é plano - no sentido de que os campos de competição entre os países desenvolvidos e os países em vias de desenvolvimento estão a ficar nivelados. A evolução desta teoria é perceptível quando olhamos para o mercado. O mundo está cada vez mais competitivo e as organizações devem seguir um mesmo trilho. Entretanto, devem antever oportunidades e criar desejos; por isso que os objetivos de comunicação são eficazes quando a meta é entender e atingir as percepções culturais e sensoriais.

Percepção não é sinônimo de atitude ou opinião, como muitos acreditam (BACHA, STREHLAU, ROMANO, 2006), é o processo de reconhecimento, seleção, organização e interpretação de uma mensagem recebida, por intermédio dos cinco sentidos. Ao adquirir claramente esses conceitos, o profissional de marketing e comunicação consegue moldar a percepção, tendo em vista que é um resultado de adaptação cultural, pois as respostas aos estímulos dependem do contexto em que o indivíduo está inserido.

Para ilustrar, cito algumas marcas que entregam valor para o consumidor/cliente e proporcionam experiências, pois o marketing estratégico é isso: comunicar com clareza e entregar o valor que o mercado percebeu. Essas marcas são consideradas as mais valiosas do mundo, e são nossas conhecidas:

O mercado consumidor está em contato com mensagens publicitárias e informações o tempo todo, porém retém somente as mensagens que interessam e que de alguma forma aguçam os sentidos, pois as percepções estão em alerta. Criar e, mais do que encantar, emocionar o consumidor é o desafio de todo profissional de comunicação, em uma era de hipercompetitividade e globalismo.

8 comentários:

LIVIA disse...

A Bordo,

Agradeço de coração, mais um vez, a oportunidade.

Boa semana para todos!
Beijos.

Juliano Detoni disse...

Oportunidade mto bem aproveitada, diga-se de passagem.
:D

Ocappuccino disse...

Thomas Friedman, em 2005, afirmou que o mundo é plano e agora David M. Smick, afirma que o mundo é curvo.

Ótimo post. Certa vez um palestrante falou que o branding bem feito é como o amante, ele nao precisa ir a cada cliente e afirmar que é bom de cama e sim as clintes chegam nele e afirmam - 'me falaram que tu é bom de cama?'

MATEUS

Natalya Nunes disse...

Excelente post.

Estudar o comportamento do consumidor se tornou tarefa indispensável para os profissionais de comunicação.

A percepção é algo que deve ser desenvolvido, pois, estamos carecas de saber quão exigente ESTAMOS nos tornando.
Eu ainda acredito que surgirão muitos outros "Pês" de Marketing com o passar dos anos, viu...

Cibele Silva disse...

Para conquistar o consumidor cada vez mais terá que surgir "pês", pois realmente o mundo está cada vez mais competitivo.
Muito boa a descrição da palestra e a relação com as teorias.

Livia, como já te disse adorei o post. Agradeço por ter aceito o convite, também agradeço a sua dedicação pelo A Bordo, pela divulgação que tem feito, uma grande parceira. A seção 'extras' já aguarda o seu retorno.

Abraços,
Belle
(A Bordo)

A Bordo disse...

Gostei do post...^^

É mesmo neh Bele, acho que daqui alguns anos terá de vez 4 P's uns 4000 P's....rs...

Conhecer o consumidor é realmente essencial para um bom negócio...

Abraço,
Daniele A Bordo

Felipe disse...

Olha, creio que para conquistar o consumidor as empresas vão passar a investir pesado no Neuromarketing.

No meu blog eu cheguei a escrever sobre um livro que li: http://esporte-marketing.blogspot.com/2009/09/neuromarketing.html

O autor provou, em seus estudos que quando os anunciantes utilizam de mais de uma maneira de atingir os sentidos do consumidor (ex.: visão e olfato), é mais lembrado depois do que se apenas atingir 1 deles por vez.

A questão cultural, de religião e crenças, também foi provada que influencia e muito.

Tudo isso, devido a estudos das atividades cerebrais dos pesquisados. É bem interessante. Não sei se já saiu a versão em português do livro.

E o engraçado da pesquisa, é que ele cita a Nokia. E descobriu, que o toque clássico da empresa passa uma imagem NEGATIVA aos consumidores. Mesmo que a gente não perceba, nosso cérebro está sempre ligado. A explicação dele, é que isso pode ocorrer por que, como a Nokia é a empresa que mais vende aparelho de celular, estamos ligados a ela... e o stress de se receber ligação toda hora, ou ser interrompido no cinema, reunião e outras ocasiões onde o celular tocando não é bem visto, causaria essa imagem negativa do toque clássico da empresa.

Felipe

Líviarbítrio. disse...

Agradeço todos os comentários, pessoal. ;)

As organizações devem adquirir muito conhecimento de mercado, é um grande diferencial para melhor alocar os recursos de comunicação. Atingindo, é claro, o público-alvo no momento certo.

Neste mesmo curso, aprendi 8 "Pês" de Marketing, além da Percepção.
Já existem autores que definem mais de 10 "Pês". E quanto mais estratégias melhor para o profissional.

Felipe, seu exemplo foi muito bem vindo. Também escrevi no meu blog sobre Neuromarketing e, também sobre Dharma Marketing. As duas estratégias juntas produzem uma diferenciação sustentável, além de resultar em um marketing de experiência inesquecível para o cliente.

Vou adorar voltar nos "Extras".
E continuarei divulgando o A Bordo, por que vale a pena.

Grande beijo,
Lívia Brito.